24 de setembro de 2008

Um guia de epistemologia

Está já nas livrarias o Compêndio de Epistemologia, org. por Ernest Sosa e John Greco — um dos mais importantes lançamentos do ano. Trata-se da tradução do original Blackwell Guide to Epistemology, que reúne um conjunto de dezassete artigos escritos por filósofos contemporâneos sobre vários aspectos da epistemologia. Dividida em quatro partes, a que se segue uma útil bibliografia da epistemologia por tópicos, esta antologia é antecedida por uma introdução de John Greco que procura explicar o que é a epistemologia (não é filosofia da ciência, como por vezes erradamente se pensa, mas sim teoria do conhecimento).

A primeira parte é dedicada a quatro problemas tradicionais da epistemologia: cepticismo (Michael Williams), realismo, objectividade e cepticismo (Paul K. Moser), a definição de conhecimento (Linda Zagzebski), e o contraste entre fundacionismo e coerencismo (Laurence BonJour).

A segunda parte é dedicada ao conceito de avaliação epistémica: Ernest Sosa escreve sobre o debate entre o internalismo e o externalismo, e suas relações com o cepticismo; Hilary Kornblith defende entusiasmado a epistemologia naturalizada, e Richard Fieldman deita-lhe água fria no entusiasmo; Keith DeRose defende o contextualismo, e Keith Lehrer escreve sobre a racionalidade.

A terceira parte é dedicada a diferentes tipos de conhecimento: conhecimento perceptivo (William Alston), a priori (George Bealer), moral (Robert Audí) e religioso (Nicholas Wolterstorff).

A quarta parte é dedicada à epistemologia feminista (Helen E. Longino) e social (Frederick Schmitt), ao interface entre a filosofia e a Inteligência Artificial (John L. Pollock), e à hermenêutica (Merold Westphal).

Esta é uma obra que ajuda a preparar bons cursos de epistemologia na universidade, e que será crucial para o estudo de professores e estudantes.

Sem comentários:

Enviar um comentário