6 de outubro de 2008

Guia de estética


O Blackwell Guide to Aesthetics, org. por Peter Kivy, foi recentemente publicado pela Paulus no Brasil com o título Estética: Fundamentos e Questões de Filosofia da Arte (440 pp.). Trata-se de dezoito ensaios sobre diversos aspectos da estética e filosofia da arte contemporâneas, da autoria de alguns dos mais importantes filósofos da área: Paul Guyer escreve sobre a história da estética moderna, Dickie sobre a definição de arte, Thomasson sobre a ontologia da arte, Goldmann sobre a crítica de arte, Carroll sobre a relação entre o realismo em arte e na moral, Mothersill sobre a beleza, Lamarque e Olsen sobre a filosofia da literatura, Margolis sobre as belas-artes e Wolterstorff sobre as relações entre arte e religião. Outros autores abordam ainda a tragédia, o cinema, a música, a dança, etc. Trata-se de um excelente instrumento de trabalho para estudantes de graduação ou mestrado que se interessem pela área. Espero que a tradução seja boa.

4 comentários:

  1. Desidério,

    será bom a filosofia ser ensinada por manuais? Não se está criando uma cultura de almanaque com esses livros de coletâneas de artigos da Blackwell, de Oxford, de Cambridge? Mesmo que sejam excelentes, e sem dúvida o são, será esse o melhor modo de se ensinar filosofia?

    Eu não sei bem o que pensar a respeito, mas gostaria de ouvir os seus pensamentos a respeito.

    ResponderEliminar
  2. Desidério, um outro excelente instrumento de trabalho é o "Compendio de Epistemologia" de Ernst Sosa e John Greco (http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=2547052&sid=52431616110109401637385574&k5=14E6AC1F&uid=)
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Caro AM

    Sou engenheiro de formação e a única hipótese que tive de "aprender" filosofia foi no 10º e 11º ano de escolaridade, há mais de 20 anos. Nessa altura tive uma boa experiência no 10º ano com um bom professor e uma má experiência com uma professora que estava sistematicamente de baixa. Mais tarde, na universidade, tive uma breve e pobre cadeira de História da Ciência.
    Nesta altura da minha vida a minha única possibilidade de "aprender" filosofia ou de conhecer vias de pensamento filosófico é lendo livros de divulgação ou manuais (neste momento leio Fernando Savater) e lendo ou participando em Blogs, como este.
    Claro que nada substitui o debate de ideias. A vantagem de se ler manuais é poder pensar sobre o que outros já pensaram. É, um leigo interessado em filosofia, cujo modo de vida torna difícil "ter muito tempo para filosofar", poder "atalhar" caminho pelos caminhos que outros já trilharam. Sempre com espírito crítico.

    ResponderEliminar
  4. Obrigado, Vítor. Referi essa bem-vinda edição neste blog, aqui:
    http://blog.criticanarede.com/2008/09/um-guia-de-epistemologia.html

    ResponderEliminar