17 de outubro de 2008

Philosophy AS


Desde ontem que ando a vasculhar este manual acabadinho de chegar à caixa de correio. Trata-se de um extenso (cerca de 450 pp) manual de filosofia para os níveis AS ingleses, um equivalente do nosso secundário com a diferença que para os ingleses os exames ainda fazem todo o sentido. O manual não foge muito à regra de concepção de um bom manual de filosofia, ainda que os títulos das secções sejam um pouco diferentes do habitual. A preocupação em usar uma linguagem clara mas rigorosa é levada a sério. Os esquemas são muito simples e o manual está cheio de pequenas notas nas margens, sem qualquer contradição com o que se está a dizer no corpo do texto. Se quisesse estabelecer uma diferença geral entre este manual e a maioria dos manuais de filosofia do ensino secundário português, é que este não recorre uma só vez aos princípios do «eduquês» na busca de adereços extrafilosóficos para adornar a filosofia. A vantagem desta opção é que a filosofia fica apresentada de um modo incrivelmente mais apelativo, sem as baralhadas do «eduquês». Eu usaria com prazer este manual nas minhas aulas. Para o completar foi criado um site com um imenso centro de recursos, desde documentos em PDF até interessantes Powerpoints. Além de servir o ensino trata-se de um livro que pode ser lido com prazer por qualquer pessoa interessada em saber discutir problemas filosóficos de modo mais organizado. O autor é professor da universidade de Londres.
Michael Lacewing, Philosophy AS, Routledge, 2008

2 comentários:

  1. Eu comprei 7 ou 8 manuais de filosofia do 10º e 11º anos. Acabei por seleccionar 3 e coloquei os outros no lixo. Ficou assim a classificação:

    1) Criticamente

    2) Filosofia da Plátano

    3) A Arte de Pensar

    ResponderEliminar
  2. Não tenho este manual, mas o centro de recursos é muito bom. É uma boa ferramenta de trabalho.

    Carla

    ResponderEliminar