1 de maio de 2009

Filosofia da Literatura



Peter Kivy é autor de diversas obras em estética e filosofia da música, como Introduction to a Philosophy of Music (OUP). Neste volume, The Performance of Reading, An Essay in the Philosophy of LiteratureKivy centra-se na discussão filosófica da leitura como execução artística.
No que diz respeito às artes, algumas são performativas, outras não. Há execuções de obras musicais, mas não de pinturas. A literatura, neste aspecto, é um pouco de ambas. As peças são representadas; os romances, os contos e os poemas narrativos não. E embora se possa ler uma peça para si próprio, ou ler um romance em voz alta como um tipo de execução, uma peça destina-se a ser representada enquanto o romance contemporâneo se destina a ser lido em silêncio. Mas a palavra impressa nos seus primeiros dias não significava leitura silenciosa. E na antiguidade, os que podiam ler liam em voz alta para si próprios. O advento da leitura silenciosa é relativamente recente na nossa história. Neste ensaio sagaz e provocador, Peter Kivy argumenta que há analogias nítidas entre a leitura «silenciosa» e a execução. Os leitores têm uma «experiência» quando lêem silenciosamente para si próprios, afim à experiência que se teria quando o rapsodo recitava Homero aos cidadãos da Atenas de Platão. Kivy defende uma compreensão e apreciação mais profundas das obras literárias, sugerindo que os leitores são executantes das obras que lêem, as suas execuções recitações do «ouvido interno».
Pode-se ver AQUI o índice do livro.

WileyBlackwell, 2008 (edição ilustrada)
  • ISBN-10: 1405188235
  • ISBN-13: 978-1405188234

Sem comentários:

Enviar um comentário