27 de agosto de 2009

Papel electrónico renovado

No artigo “Papel Electrónico” falei dos novos leitores de livros electrónicos que usam uma tecnologia que permite ler à luz do dia, e quase sem gastar energia. Até agora, esses leitores tinham uma limitação: não faziam a reformatação de documentos em PDF, que assim ficavam difíceis de ler. Isto era particularmente mau para quem quer ler livros académicos dado que editores como a Cambridge University Press, Routledge e Hackett publicam quase tudo em formato PDF (ou ePub, que tinha o mesmo problema do PDF). Esse problema foi resolvido com a última actualização do firmware desses leitores, que permite agora ler PDF fazendo a reformatação do texto.

O resultado é impressionante. Podemos ler perfeitamente coisas como a New History of Western Philosophy, de Anthony Kenny, em PDF. Comprei o último livro de Sainsbury, Fiction and Fictionalism, em formato PDF, e lê-se agora perfeitamente bem. É como ter um aparelho novo, de facto. Se hesitava comprar um aparelho por saber que poucos livros académicos existiam no formato MOBI, que era o mais confortável de ler, acabaram-se as hesitações: agora pode ler PDF e ePub perfeitamente… e transportar uma centena de livros destes na mão, quando viaja, etc., com todo o conforto. O leitor que uso é o BeBook, mas há outros análogos, como o da Pixelar — é só procurar.

1 comentário:

  1. Só me interrogo por que razão os livros nesse formato continuam assim tão caros ($35 foi o que pagaste pelo Sainsbury).

    E há ainda o "senão" para os que não lêem inglês, que é o facto de quase não se haver livros nesses formatos à venda em português.

    Mesmo assim, acho que é desta que vou aderir.

    ResponderEliminar