4 de outubro de 2009

Crato ao domingo

Nunca perco as crónicas deliciosas de Nuno Crato, no Expresso. A de hoje, "O Elo que Faltava," cumpre o que sempre espero: informação cuidadosa, imparcial, elegantemente descrita. Obrigado, Nuno!

1 comentário:

  1. Sem dúvida que é um intelectual, na verdadeira acepção da palavra. Sempre correcto nas suas apreciações, é incisivo nas críticas, críticas essas sempre bem guarnecidas por justificações objectivas. Só li um livro de Crato, sobre a questão do eduquês, e tenho lido, acima de tudo, artigos. É um bom exemplo do que um filósofo pode fazer. Ser interventivo, abrir mundos e analisar crítica e criativamente tudo o que se vai passando.

    ResponderEliminar