8 de novembro de 2009

Crato e as borboletas quânticas

É sempre informativo ler a crónica de Nuno Crato, desta vez sobre borboletas quânticas. A parte final, contudo, não compreendi -- talvez algum leitor possa explicar-me melhor. Não compreendi a diferença entre caos e aleatoriedade -- sempre pensei que era a mesma coisa. Qual é a diferença e por que razão os fenómenos quânticos são aleatórios mas não caóticos (como se pensava até agora)?

2 comentários:

  1. Um sistema dinâmico caótico não pode ser aleatório, porque para o mesmo estado inicial, ocorre sempre a mesma trajectória. O termo caótico diz respeito à existência de um conjunto de propriedades que o dado sistema possui: (i) é sensível às condições iniciais (mais conhecido como efeito borboleta), (ii) grosso modo, não é reversível e (iii) ao ter trajectórias cíclicas, elas são densas ie, dado um ponto, por menor que seja a distância que se considere, há uma órbita ainda mais perto.

    Portanto, um sistema caótico possui muita estrutura e regularidade, o mesmo não se pode dizer de um qualquer sistema aleatório.

    O blog Good Math, Bad Math anda nestes dias a apresentar uns tutoriais sobre o assunto. Cf. http://scienceblogs.com/goodmath/goodmath/topology/chaos_1/

    Cumprimentos,

    João Neto

    ResponderEliminar