22 de maio de 2010

Filosofia da filosofia

Acabo de publicar a minha tradução da introdução do livro The Philosophy of Philosophy, de Timothy Williamson.

A reflexão filosófica sobre o que fazemos quando fazemos filosofia, e como poderemos fazê-lo melhor, é importante porque tem um certo poder orientador e clarificador. Não raro, revela pressupostos positivistas indefensáveis que, levados a sério, ou transformariam a filosofia em história ou a transformariam em conversa mole de fim-de-semana, sob a capa de uma atitude existencial algo infantil, ou então a transformariam numa mera disciplina da lógica. Do meu ponto de vista todos estes pontos de vista têm duas coisas em comum. Primeiro, uma insensibilidade à força dos problemas centrais da filosofia. Segundo, a convicção (filosófica e portanto autorrefutante!) de que as ciências esgotam o domínio do cognitivo.

Williamson é um dos filósofos contemporâneos que está a milhas de distância de qualquer destas atitudes perante a filosofia, e por isso a milhas de distância de uma certa maneira de encarar Wittgenstein ou Quine, que em certos sectores são vistos como vacas sagradas que não podem ser postas em causa. Leia-se-lhe o texto, e discutamo-lo.

1 comentário:

  1. O novo link para o texto: http://criticanarede.com/filosofiadafilosofia.html

    ResponderEliminar