8 de setembro de 2010

Antologia imperdível

Acabo de ter conhecimento (obrigado, Dídimo!) do lançamento pela Artmed da antologia de textos organizada por Laurence BonJour e Ann Baker, Filosofia: Textos Fundamentais Comentados (Artmed), cujo original foi publicado pela Pearson para o mercado norte-americano. O livro é do interesse sobretudo de estudantes universitários e professores do ensino médio brasileiro, e está dividido em 8 partes:
  1. O que é a filosofia? Textos da organizadora, Ann Baker, de Platão e Russell.
  2. Epistemologia. Aqui são abordados dois temas: o conhecimento do mundo exterior e a justificação da indução. No primeiro caso, temos textos de Descartes, Locke, Berkeley, Reid, BonJour e Sexto Empírico. Esta secção conclui com um diálogo dos organizadores, como acontece noutras secções, mas não em todas. A segunda secção contém textos de Hume, Salmon e Ewing.
  3. Filosofia da mente. Aqui são estudados três temas. O primeiro contempla textos de Foster, Smart e Fodor e é sobre a identidade ou não entre estados mentais e estados cerebrais. O segundo é sobre o problema de os estados mentais serem ou não análogos aos estados de um computador e oferece textos de Turing, Searle e Fodor. O terceiro é o problema dos qualia e tem os textos clássicos de Nagel e Jackson, e ainda textos de BonJour, David Lewis e Chalmers.
  4. Identidade pessoal e livre-arbítrio. Esta parte é dedicada aos dois problemas mencionados, tendo no primeiro caso textos de Locke, Reid, Bernard Williams e Parfit, e no segundo de Blatchford, Hume, Stace, Paul Edwards, Frankfurt, Campbell, Nozick, Kane e Galen Strawson. Esta parte está convenientemente dividida em 4 subsecções: determinismo rígido, compatibilismo, libertarismo e determinismo rígido de novo.
  5. Filosofia moral. Com quatro secções, esta parte tem textos de Bentham, Mill, Smart, Bernard Williams e Peter Singer, sobre o problema de saber qual é a melhor teoria da moralidade; Kant, Onora O'Neill, David Ozar e Judith Jarvis Thomson (ética deontológica), Aristóteles e Rosalind Hursthouse (ética das virtudes), terminando com James Rachels, Feinberg e Platão (metaética: relativismo e egoísmo).
  6. Filosofia política. Aqui são abordados dois problemas: a justificação do estado e a noção de justiça social. No primeiro caso, temos textos de Hobbes, Locke e Hume. No segundo, Nozick, Rawls e Scanlon.
  7. Filosofia da religião. Esta parte começa com uma secção sobre os argumentos a favor da existência do Deus teísta, dividida em três subsecções: o argumento cosmológico (Tomás de Aquino, Samuel Clarke e David Hume), o argumento do desígnio (Paley, Stephen Jay Gould (!), Hume e Flew), e o argumento ontológico (Anselmo, Descartes e Kant). A segunda secção é dedicada ao problema do mal, com textos de Hume, Mackie e John Hick. E termina com uma secção sobre a ética da crença, com textos de Walter Kaufmann e William James.
  8. O sentido da vida. Textos de Epicteto, Nozick, Nagel e Wolf.
Não posso atestar a qualidade da tradução, porque ainda não tive o livro em mãos. Mas a sua publicação é uma excelente notícia. Dar aulas na graduação é agora muito mais fácil, pois o problema da falta de domínio da língua inglesa entre estudantes é gritante no Brasil. A única má notícia é a dimensão e o preço do livro: não é barato, nem um livro facilmente transportável. Este tipo de antologias (das quais há muitas nos EUA) são concebidas para um semestre ou dois de um curso introdutório de filosofia, para alunos acabados de entrar na universidade, e servem tanto para cursos de filosofia como para outros cursos.

A edição brasileira é da responsabilidade de Maria Carolina dos Santos Rocha (UFRGS) e Roberto Hofmeister Pich (PUCRS).

2 comentários:

  1. Que bom. A Artmed está traduzindo ótimos livros!

    ResponderEliminar
  2. Esse livro vem para "competir" com o Compêndio de Filosofia, 2a ed., de Nicholas Bunnin e E. P. Tsui-James (Orgs.), que aliás é um livrio muito bom, e que me parece atender aos mesmos fins que o analista do blog aponta. Publicado pela Loyola e traduzido pelo Luiz Paulo Rouanet. A diferença reside no fato de o Compêndio não possui textos comentados, mas é constituído por verbetes escritos por importantes professores, como Simon Blackburn, A. M. Moore, John Serarle, Bernard Williams e Susan Haack, além de contar com uma parte (a II Parte) dedicada à História da Filosofia.

    ResponderEliminar