15 de março de 2011

Putnam em destaque

O Prémio Schock de Filosofia é atribuído de três em três anos pela Academia Sueca e é considerado como uma espécie de prémio Nobel da filosofia. Este ano o laureado foi o filósofo americano Hilary Putnam. Este importante prémio já distinguiu em anos anteriores filósofos como Thomas Nagel, John Rawls, Saul Kripke e W. V. O. Quine. 

Putnam nasceu em 1926 em Chicago e foi professor em Princeton, no MIT e em Harvard. Destacou-se sobretudo nas áreas da filosofia da linguagem, filosofia da mente, metafísica, epistemologia e filosofia da matemática. Defendeu, em filosofia da linguagem, as muito discutidas e influentes teorias causal da referência e do externalismo semântico. A este propósito tornou-se famosa a sua experiência mental da Terra Gémea. Defende também uma forma de pragmatismo muito diferente da de outros filósofos americanos, nomeadamente da de Richard Rorty. 

Putnam e sua mulher, Anna Ruth Putnam, em Portugal, ladeando os filósofos Charles Travis e João Branquinho.



2 comentários:

  1. Se excluirmos os "clássicos" Frege, Russel e Wittgenstein, que já conhecia, foi um livro deste senhor,"Razão, verdade e história", que fez a minha iniciação à filosofia analítica contemporânea - juntamente com "A última palavra", de Thomas Nagel, algum tempo depois -, ajudando a libertar-me de muita da ganga, dos vícios e dos tiques filosófico-linguísticos adquiridos na faculdade e reconciliando-me com a minha própria vocação e formação científicas originais. Estou-lhe grato por isso e congratulo-me pessoalmente pelo prémio agora recebido, que é mais do que justo e só peca por tardio.

    ResponderEliminar
  2. Há vários livros de Putnam traduzidos entre nós, mas a qualidade das traduções não é boa, sobretudo as traduções da Piaget.

    ResponderEliminar