3 de julho de 2011

Torcer o pescoço para ler lombadas


As lombadas dos livros portugueses são assim, umas para um lado e outras para o outro. É a isto que se refere o Desidério no comentário à minha postagem anterior. Talvez seja bom para torcer o pescoço.

5 comentários:

  1. É bem verdade... não há uma norma que faça com que todos sejam da mesma maneira? :)Um padrão normalizado, se calhar, não era bem pensado... todavia, também a magia de andar pela biblioteca a torcer o pescoço se desvaneceria... *

    ResponderEliminar
  2. Podia pensar-se numa normalização para evitar estas situações... No entanto, a magia de andar pela biblioteca a torcer o pescoço ia desvanecer-se, pois isso também faz parte da cultura a que nos habituámos... :)

    ResponderEliminar
  3. Acho essa diversidade de lombadas um encanto, vez que, do lado de dentro, elas vendem português correto, inteiramente livre de vícios de linguagem [erros crassos de português].

    ResponderEliminar
  4. Gostava (estou a brincar...) que os leitores que acham piada andar sempre a torcer o pescoço, que tivessem de procurar um livro numa estante enorme. No fim de certeza que não iriam gostar: com "sorte" teriam uma dor de cabeça e um torcicolo.

    Eu também preferiria ter os livros com uma aparência organizada na estante.

    ResponderEliminar
  5. quando trabalhei numa livraria lisboeta, nos tempos da licenciatura, tinha o hábito de arrumar os livros com a lombada sempre na mesma direcção. claro que assim uns têm de ficar "de cabeça para o ar" e outros "de pé", mas funciona.

    ResponderEliminar