26 de setembro de 2011

Justiça, de Sandel

Acabo de ter conhecimento da edição brasileira de Justice, de Michael J. Sandel. A edição é da Record, e a tradução de Heloísa Matias e Maria Alice Máximo. Esta é uma excelente notícia, pois trata-se de uma leitura fundamental para qualquer pessoa interessada em filosofia política. Veja-se o site do autor, que disponibiliza vídeos das aulas que estão na origem do livro.

A tradução portuguesa do subtítulo original do livro é enganadora; o subtítulo original do livro é uma pergunta, "What's the right thing to do?", que se traduz correctamente por "O que é correcto fazer?" ou "Qual é a coisa correcta a fazer?". Mas na edição brasileira surge uma afimação: "O que é fazer a coisa certa". Esta afirmação é muitíssimo diferente, ainda que gramaticalmente seja parecida à pergunta original. Perguntar o que é fazer a coisa certa é uma pergunta sobre a ontologia da acção correcta; não é disso que trata o livro. O livro trata de saber, em cada caso difícil da vida, o que é correcto fazer. Espero que este defeito do subtítulo não seja indício de uma tradução de tal modo má que torne a edição brasileira insusceptível de ser recomendada.

Sem comentários:

Enviar um comentário