13 de outubro de 2011

Percepção e realidade

Acabo de ler Inverted World, de Christopher Priest, um autor britânico que desconhecia. Fiquei bem impressionado com o livro, que agarra desde o início. Trata-se de uma história sobre uma cidade móvel, que começa por estar escrita na primeira pessoa, mudando depois para o ponto de vista da terceira pessoa, e regressando à primeira pessoa. As mudanças de perspectiva são cruciais porque é precisamente sobre isso que trata o livro. A personagem, assim como todos os habitantes daquela cidade móvel, pensa que vive num planeta estranho, onde ocorrem fenómenos físicos que obrigam à deslocação contínua da cidade -- um planeta que não é esférico, como a Terra. Grande parte da atracção do livro resulta precisamente da descoberta progressiva que a personagem vai fazendo do seu planeta, e nós com ela. E depois, no final, temos uma grande surpresa, de que não vou falar para não estragar a história. Impressionou-me a sensibilidade da narrativa, que por vezes é comovente, outras vezes apenas estranha e opressiva, mas sempre estimulante.

Sem comentários:

Enviar um comentário