14 de janeiro de 2012

História do Pensamento Político Ocidental


O conhecido político e professor de direito administrativo Freitas do Amaral publicou no final de 2011 o livro História do Pensamento Político Ocidental (Almedina), uma obra ambiciosa que não está ao alcance de qualquer um e que exige, sem dúvida, uma boa dose de cultura filosófica. O livro expõe e avalia criticamente as principais ideias políticas desde Péricles, na Antiguidade Clássica, até aos nossos dias - incluindo, por exemplo, o pensamento de Raymond Aron e do «pai» da comunidade europeia, Jean Monet.  É uma história centrada nos principais protagonistas do pensamento político ocidental, como Platão, Aristóteles, Tomás de Aquino, Maquiavel, Hobbes, Locke, Kant, Rousseau, Marx, Lenin, Popper e Rawls, entre muitos outros, num total de mais de 50 filósofos e pensadores políticos.

Ainda não li o livro, mas uma vista de olhos pelo índice (curiosamente, o sítio da net da própria editora não inclui o índice, ao contrário do que seria de esperar), saltaram-me imediatamente à vista duas lacunas imperdoáveis: John Stuart Mill e Robert Nozick. Qualquer um destes nomes justificaria maior destaque do que, por exemplo, Erasmo, Lutero ou Raymond Aron.  

3 comentários:

  1. Aires Almeida,

    Ainda não tenho o livro pois só agora é que soube da sua existência, mas podia fazer o favor de verificar no índice o nome Ronald Dworkin? E já agora pessoas associadas ao Comunitarismo como Alaidair MacIntyre, Michael Sandel ou Charles Taylor?

    ResponderEliminar
  2. Não tenho o livro, que só folheei na livraria, mas tenho a certeza que não refere o MacIntyre nem o Sandel nem Charles Taylor.

    Já agora, não acham incrível não se encontrar o índice do livro em nenhuma das livrarias virtuais que o anunciam, nem sequer no próprio site da editora? Dá a ideia que para os compradores portugueses de livros, os seus índices não contam para nada. Não sei bem o que, na cabeça deles, leva as pessoas a comprar livros.

    ResponderEliminar
  3. Pois, infelizmente acho que é a regra geral em vez de ser a excepção. A Amazon é dos poucos sites que consulto que permite, a maioria das vezes, ver o índice e até o prefácio ou a parte inicial da obra! Outra coisa que a Amazon também tem e que dá muito jeito é permitir encontrar palavras-chave dentro do livro... Mas eu nem peço tanto, já ficava contente se me dessem o índice na maior parte das livrarias virtuais. Se encontrar lá um livro que me pareça interessante como é que eles esperam que eu saiba se devo comprá-lo? Pelo Título? Pela Capa? Acho que até é um certo desrespeito para os clientes...

    ResponderEliminar