13 de março de 2012

John Searle: Genes e Memes


Acredito que a analogia entre "gene" e "meme" está errada. A evolução biológica prossegue através de forças naturais brutas e cegas. A expansão de ideias e teorias através da "imitação" é tipicamente um processo consciente direccionado a um objectivo. Quer dizer, a fim de reunir dois tipos diferentes de processo, perde-se as consequências da explicação de Darwin sobre a origem das espécies. O maior feito de Darwin foi mostrar que a aparência de um propósito, planeamento, teleologia e intencionalidade na origem e desenvolvimento das espécies humana e animais era completamente uma ilusão. A aparência podia ser explicada por processos evolutivos que não contivessem qualquer desses propósitos. Mas, a difusão de ideias através da imitação requer todo o aparato da consciência humana e intencionalidade. As ideias têm de ser compreendidas e interpretadas. Só depois de compreendidas e julgadas desejáveis ou indesejáveis é que estas podem ser tratadas como candidatas à imitação ou rejeição. A imitação requer tipicamente um esforço consciente da parte do imitador. Normalmente, todo o processo envolve a linguagem em toda a sua variabilidade e subtileza. Em suma, a transmissão de ideias por meio da imitação é totalmente diferente da transmissão de genes por meio da reprodução. Logo, a analogia entre genes e memes é enganadora desde o início.

The Mystery of Consciousness, página 105.

Sem comentários:

Enviar um comentário