11 de abril de 2012

Bas van Fraassen

Estou a chamar a atenção para o fato de que o microscópio não precisa ser entendido como uma janela, mas mais certamente como um instrumento que cria novos fenômenos ópticos. Daquilo que vemos no microscópio é certo dizer que estamos “vendo uma imagem” (como “vendo um reflexo”, “vendo um arco-íris”), e que essa imagem poderia ser ou uma cópia de uma coisa real não visível a olho nu ou uma mera alucinação pública. Sugiro que é muito mais certo e de fato mais iluminante manter neutralidade a esse respeito e pensar  nessas imagens apenas como uma alucinação pública.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Coisas de empiristas.=P É o preço a se pagar por recusar as práticas não-dedutivas.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. ops... já concertei. Obrigado. Quem foi a besta que traduziu isso?

      Eliminar
  3. Olá!

    Por favor, qual a referência desta citação de van Fraassen ?

    Abraços!

    ResponderEliminar