2 de maio de 2012

Matthew Kramer

O conhecimento histórico, ainda que conveniente para melhorar a sagacidade e a finura da leitura de alguém, não suplanta os métodos e habilidades exigidos para a avaliação filosófica de textos. Apenas ajuda a refinar o entendimento global de qualquer argumento sob o qual as técnicas filosóficas serão então aplicadas. Por si, o conhecimento histórico servirá ao filósofo somente como base preliminar para ajuizar a solidez e as implicações lógicas das teorias. O cuidado com os contextos históricos não irá pré-determinar a natureza da abordagem dos cursos de raciocínio que emergiram naqueles contextos. Mais especificamente, não obriga alguém a chamar atenção para a influência daqueles contextos sobre esses cursos. Alguém pode não destacar essa influência, e pode em vez disso discutir adequadamente o rigor lógico da argumentação influenciada.

Sem comentários:

Enviar um comentário