26 de janeiro de 2013

O legado do Aufbau


O amigo Paulo Andrade acabou de me dar esta bela notícia: o novo (lançado em outubro do ano passado pela Oxford University Press) e empolgante livro de Davild Chalmers, Constructing the World. Como o nome sugere, o livro é influenciado pelo  Der Logische Aufbau Der Welt (Logical Construction of the World) de Carnap, um dos projetos mais ambiciosos do fundacionismo no século XX -- tentava reduzir a base de todo nosso conhecimento a impressões sensíveis assumindo uma tese controversa, conhecida como fenomenismo, de que o mundo nada mais é do que a construção lógica de nossas impressões sensíveis. Embora a motivação de Carnap fosse primariamente epistemológica, a de Chalmers parece ser primariamente metafísica (e não fenomenista). Eis a descrição das costas do livro:

David Chalmers desenvolve uma imagem da realidade na qual todas as verdades podem ser derivadas de uma classe limitada de verdades. Essa imagem é inspirada pela construção do mundo de Rudolf Carnap em Der Logische Aufbau Der Welt. O Aufbau de Carnap é geralmente visto como um notável malogro, mas Chalmers argumenta que a versão do projeto pode ser bem sucedida. Com os elementos básicos corretos e com a relação de derivação correta, podemos de fato construir o mundo. O ponto central do projeto de Chalmers é a escrutabilidade: a tese de que o raciocínio ideal de uma classe limitada de verdades básicas leva a todas as verdades sobre o mundo. Chalmers argumenta primeiro a favor da tese da escrutabilidade e, depois, considera o quão pequena essa base pode ser. O resultado é um enquadramento na "epistemologia metafísica": a epistemologia a serviço da imagem geral do mundo. O enquadramento da escrutabilidade tem ramificações por toda a filosofia. Usando-o, Chalmers defende uma abordagem amplamente fregiana ao significado, argumenta a favor da abordagem internista aos conteúdos do pensamento, e rebate os argumentos de W. V. Quine contra o analítico e o a priori. Ele também usa a escrutabilidade para analisar a unidade da ciência, para defender um tipo de metafísica conceitual, e prepara uma resposta estruturalista ao cético. Baseado nas conferências John Lock de Chalmers em 2010, Constructing the World abre debate a questões filosóficas centrais sobre o conhecimento, a linguagem, a mente, e a realidade. 

Eis a introdução. E aqui alguns capítulos (talvez um pouco desatualizados). Vale muito a pena conferir! 

1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar