30 de abril de 2013

Joseph Carroll

As vantagens profissionais da doutrina pós-estruturalista deveriam ser óbvias. Permite que os professores de literatura adoptem uma postura crítica pré-fabricada que de nenhum modo depende da validade empírica das suas descobertas. Ao ligar a afirmação de uma forma superior de perspicácia, que transcende a razão, com a afirmação de uma autoridade moral superior, o pós-estruturalismo concede aos seus aderentes o tipo de autoridade apropriada a uma classe sacerdotal. Os iniciados nesta ordem doutrinal têm de fazer votos de pobreza intelectual. Renunciam necessariamente ao conhecimento positivo, objectivo. Mas em compensação ocupam automaticamente uma perspectiva crítica que é sempre desde logo superior às descobertas objectivas da ciência e que é sempre desde logo moralmente superior à ordem social em que eles mesmos participam.

Sem comentários:

Enviar um comentário