11 de julho de 2013

Um carvalho invisível?


Neste livro, cuja tradução portuguesa estará disponível dentro de pouco mais de uma semana, o autor pergunta-nos em que filósofo pensamos ao ler os versos humorísticos que se podem ler abaixo. O leitor o que acha?

 Uma vez um jovem disse assim:
«Deus, acho deveras estranho,
Que aquele carvalho do jardim
Continue a sê-lo
Quando não está ninguém a vê-lo.»

«Caro Senhor, estranho é o seu espanto
Pois do jardim nunca arredo o pé
E é por isso que a dita árvore
Continua a ser como é.
Com a maior boa fé me subscrevo, DEUS.»

2 comentários: