23 de fevereiro de 2015

Pergunte ao autor (Pedro Galvão, "Ética com Razões")


A Crítica lançou o desafio ao Pedro Galvão de responder a algumas questões sobre o seu último livro, “Ética com Razões”. O desafio foi aceite.

Agora lançamos o desafio ao leitor: enquanto lia, houve questões que o inquietassem? Pois bem, terá agora a oportunidade de ver as suas questões esclarecidas pelo próprio autor. Das questões aqui colocadas (ou na nossa Página do Facebook) serão seleccionadas as melhores.

No final publicaremos aqui no blogue as perguntas e respostas.

3 comentários:

  1. Se bem percebi, tu defendes no livro que, se entendermos o conceito de direitos num sentido estrito e não num sentido amplo, então o facto de termos deveres ou obrigações morais em relação aos animais não implica necessariamente que os animais tenham direitos porque isso implicaria, por sua vez, que esses seres nunca poderia ser sacrificados nem sequer para o maior bem, argumento que exemplificas depois dizendo que se um ser (no caso, tu próprio) tem direito moral à vida, então ninguém tem o direito de o matar, mesmo que matá-lo seja necessário para salvar várias vidas. Daqui retiro, não uma, mas duas ou três questões:
    1ª - Nesse caso, por extensão do argumento, os seres humanos também não têm direitos, uma vez que o mesmo princípio se aplica aos direitos humanos, havendo portanto deveres humanos mas não direitos humanos?
    2ª - Não haverá aqui uma confusão entre direitos absolutos ou sagrados e direitos tout court, os quais poderiam existir e serem objectivos, sendo, no entanto, relativos, não no sentido relativista ou subjectivista do termo, mas apenas no sentido em que poderiam existir outros direitos superiores que, em certos casos ou sempre, objectivamente se sobreporiam aos outros, como seria o caso de haver um bem maior que o justificasse, à semelhança do que sucede com os supostos direitos humanos à vida, à liberdade ou à felicidade, que também sabemos(?) terem limites e não serem absolutos, apesar de serem objectivamente reconhecidos como existentes? (desculpa a extensão)
    3ª - A ideia de que determinados seres têm deveres ou obrigações morais em relação a outros não implicará necessariamente que aqueles que são objecto desses deveres possuem correlativamente os direitos que correspondem àqueles deveres, ainda que estes não possam, por natureza ou condição, retribuir com iguais deveres em relação aos primeiros, como é o caso dos outros animais, dos bebés, das pessoas portadoras de deficiência mental, dos loucos, das pessoas com Alzheimer, etc?

    ResponderEliminar
  2. No seguinte link pode-se consultar as minhas questões, comentários, dúvidas, objeções: http://blog.domingosfaria.net/2015/05/discutir-o-aborto-com-razoes.html

    ResponderEliminar