Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2016

(Cont.) O Tesouro perdido de Wittgenstein?

Como alguns dos leitores terão reparado a notícia do último post é de 2011. Por essa altura foram também publicadas estas duas notícias:
"Unpublished Wittgenstein archive explored" (Cambridge - 2011) "Wittgenstein's archive rediscovered in Cambridge" (BBC - 2011) Em 2013 o Boletim Philosophy at Cambridge (pág. 6 e 7) e depois o Boletim British Wittgenstein Society, detalhavam assim os nove manuscritos que constituem o arquivo encontrado: O próprio Livro Castanho original, com frases novas nas suas páginas introdutórias, até então desconhecidas na escrita de Wittgenstein. (Também exibe um número significativo de parágrafos ou frases alemãs escritas à mão por Wittgenstein, nas páginas que estão de frente para o texto em inglês. Estas são muitas vezes traduções variadas, ou, às vezes, estendem a noção aí expressa em inglês.)Um Livro Cor-de-Rosa, intitulado Livro I e Livro II (composto de 14 200 palavras, bem como muitas ilustrações visuais). Parece ser uma c…

O Tesouro Perdido de Wittgenstein?

LUDWIG WITTGENSTEIN | NCMallory Flickr
A notícia fala de um arquivo até aqui perdido e que supostamente dará uma nova visão da forma de pensar deste filósofo, do relacionamento com o seu secretário e sobre a importância deste último nesta investigação.
Sobre as mais de 170 mil palavras e equações matemáticas agora reveladas o académico de Cambridge, Arthur Gibson, responsável por este estudo, diz: "Fiquei impressionado porque é um arquivo inteiro, nunca visto antes, e na sua maior parte inteiramente novo. Fornece uma visão dos seus processos de pensamento – quase que espiamos a sua mente". Gibson adianta ainda a seguinte possibilidade: "Isto pode ou não ser o item ausente chamado o livro cor-de-rosa ou o livro amarelo que os académicos há tanto tempo esperavam."  Quanto a uma série de milhares de cálculos matemáticos nos quais Wittgenstein examina o pequeno teorema de Fermat, Gibson diz: "É uma série extraordinária de cálculos, até mesmo bizarra, e …

Utilitarismo para breve (introdução)

Está para breve a saída de mais uma Very Short Introduction e desta vez é Peter Singer e Katarzyna de Lazari-Radek que escrevem uma introdução ao Utilitarismo. A descrição do livro é a seguinte:
O utilitarismo pode muito bem ser a teoria ética secular mais influente no mundo de hoje. É também uma das mais controversas. Colide, ou pensa-se amplamente que colida, com muitos pontos de vista morais convencionais, e com os direitos humanos quando estes são vistos como invioláveis. Será que, por exemplo, é correcto torturar um suspeito de terrorismo, a fim de evitar um ataque que poderia matar e ferir um grande número de pessoas inocentes?

Nesta Very Short Introduction, Peter Singer e Katarzyna de Lazari-Radek fornecem um relato confiável da natureza do utilitarismo desde as suas origens no século XIX, à sua justificação e às suas variedades. Considerando como os utilitaristas podem responder às objecções que são muitas vezes vistas como devastadoras, eles exploram a resposta utilitarista…

Inteligência Artificial (Desfazer Mitos)

Basta de Democracia?

O mesmo autor que contrapôs ao "Socialismo, Por Que Não?" o "Capitalismo, Por Oue Não?", Jason Brennan, apresenta agora o "Contra a Democracia"
Pode ler o primeiro capítulo aqui.

Desidério Viral no Facebook

A publicação na página da Crítica no Facebook que foi mais vista até há bem pouco tempo, foi aqui destacada do seguinte modo: “teve um alcance cerca de 7 vezes superior à média das outras publicações (registando, até ao momento, 18 partilhas)”.

Mas este número foi agora largamente superado. Isso aconteceu com um memedo Desidério Murcho sobre os 8 princípios para um debate público melhor, do seu livro “Pensar Outra Vez”.

Esta é a estatística apresentada pelo Facebook:

Portanto, em apenas 2 dias, este memefoi partilhado mais de 280 vezes e foi visto por mais de 60 mil pessoas.

Lançamos a seguinte questão: este meme tornou-se viral porquê?


- Actualização 2 (15/04/2017): Até ao momento este memefoi partilhado 552 vezes e alcançou 104 111 pessoas.


- Actualização 1 (12/09/2016): Até ao momento este memefoi partilhado 469 vezes e alcançou 85 600 pessoas.

Em Abril, Crítica a 5 mil

A Crítica está prestes a cumprir 20 anos (1997-2017) e a essa data pode juntar-se ainda outras duas que muito influenciaram a sua divulgação: 7 de Agosto de 2008, com a criação do Blogue da Crítica e, há quase 6 anos atrás, a 15 de Agosto de 2010, a criação da Página no Facebook da Crítica.

Ora hoje a Crítica chegou aos 5000 na sua Página do Facebook. O número é muito significativo visto tratar-se de uma página que se dedica exclusivamente a divulgar a filosofia em língua portuguesa. Agradecemos a todos os nossos colaboradores e a todos os nossos leitores.  Subscreva a Crítica gratuitamente

Partilha ilegal (e grátis) de conhecimento

Será que as vantagens do acesso sem restrições ao conhecimento é uma boa razão para se recorrer à desobediência civil?

Uma investigadora Russa, pensando que sim, tornou acessíveis mais de 48 milhões de artigos científicos na Internet e, mesmo depois da decisão desfavorável do tribunal, continua a recusar-se a fechar o seu site.

Assim, em 2011, a neuro-cientista Alexandra Elbakya, frustrada por não conseguir pagar o acesso aos artigos de que necessitava para a sua investigação, criou esta espécie de Pirate Bay do mundo científico, alegando que todos, independentemente do seu rendimento ou filiação, deveriam ter livre acesso ao conhecimento. O site entretanto tornou-se viral, com centenas de milhares de artigos a serem descarregados diariamente. O site em questão é o Sci-Hub.

Do lado oposto a esta Robin dos Bosques dos tempos modernos estão as editoras que, ao providenciarem uma revisão científica dos artigos e a sua divulgação ‒ o que antes da Internet era crucial à disseminação …