26 de fevereiro de 2010 Blog

A pequena celebração

Desidério Murcho
Li Bai (701-762), também conhecido como Li Po, foi um dos melhores poetas chineses, talvez até o melhor, só rivalizado pelo imenso Du Fu. Um dos seus poemas que me tem acompanhado na memória ao longo dos anos, na tradução inglesa de J. C. Cooper, é esta pequena celebração, que aqui traduzi para português --  partindo da versão inglesa, pois infelizmente não sei mandarim. Este poema em particular, um dos mais belos, foi objecto no séc. XX de inúmeras traduções inglesas. Escolhi a que mais gosto. Depois da minha tradução, está a tradução inglesa usada numa composição musical de Vangelis, que a acompanha na perfeição.

A pequena celebração, de Li Bai

Bebo entre as flores uma garrafa de vinho.
Somos três, se contarmos a minha sombra
E a Lua cintilante.
A Lua nada sabe felizmente sobre vinho,
E a minha sombra nunca tem sede.

Canto e a Lua ouve-me em silêncio.
Danço e também a minha sombra dança.
Em todas as celebrações há a tristeza da despedida,
Mas esta tristeza é-me desconhecida.
Quando vou para casa a Lua vai comigo
E a minha sombra acompanha-me.

3 comentários :

Leandro disse...

Muito bom.
Sigo regularmente o blog e acho muito interessante.
Continue com o magnifico trabalho!

Anónimo disse...

No Monte Tong

Passaria cem anos nesta montanha
sem pensar no regresso. Cem anos de embriaguês.
Gostaria de dançar e com as minhas mangas
roçar todas as copas dos pinheiros de uma só vez

Li Po, 'Sono De Primavera - Poemas Chineses', versões de Jorge de Sousa Braga, Edições Litoral, Porto, 1986.

Desidério Murcho disse...

Obrigado pela referência. Acaso sabe se Jorge de Sousa Braga traduziu directamente do mandarim?

Arquivo